Guia completo: entenda como otimizar a gestão de obras

12 minutos para ler

Fazer uma obra é um processo que exige um plano completo e detalhado para que tudo seja efetivo. Na hora de colocar em prática, é a gestão de obras o principal fator para o sucesso. Por isso, ela deve ser otimizada para que seja viável potencializar os resultados.

Para atingir essa performance, é indispensável ter alguns cuidados e desviar de certos obstáculos. Ao mesmo tempo, há medidas que são muito efetivas e que têm que ser colocadas em prática.

Para que não restem dúvidas sobre o que fazer, elaboramos um guia completo para alcançar o melhor desempenho. A seguir, veja como fortalecer a gestão de obras e conheça os pontos principais!

O que é a gestão de obras?

A execução de uma obra deve ser feita de maneira estruturada, controlada e segundo os objetivos estratégicos. Para chegar a esse resultado, é fundamental fazer uma boa gestão de obras.

Esse processo reúne todas as ações que são voltadas para a realização de tarefas indispensáveis para a conclusão das atividades que levam à finalização da obra. De forma simples, envolve a definição, a utilização e o acompanhamento de uso dos recursos.

Qual a importância da gestão de obras?

Um bom gerenciamento ajuda a garantir que os processos sejam executados corretamente. É graças a essas etapas que é possível conquistar o resultado desejado em todos os aspectos.

Na sequência, vamos mostrar o que torna a gestão de obras tão importante e indispensável. Confira!

Atendimento às solicitações

Graças às práticas de gerenciamento, há como garantir que as necessidades de construção e reformas sejam atendidas. Na prática, significa que todos os pedidos feitos pelo cliente estarão cumpridos no momento da entrega.

Garantia de qualidade

Mais que apenas entregar a construção, a gestão de obras conduz à qualidade. Tudo é planejado e executado de modo a atender às expectativas e aos padrões. A qualidade, inclusive, tem a ver com o nível técnico, o que garante segurança.

Cumprimento de prazos e valores

Uma boa gestão de obras também é essencial para cumprir as expectativas de prazo, de gastos e até para economizar na construção. Como é uma forma de antecipar problemas, torna possível alcançar os resultados dentro das expectativas.

Aumento da satisfação do cliente

Além de tudo, essa é uma maneira de fazer com que o contratante fique mais satisfeito. Isso melhora o posicionamento do negócio no ramo de construção civil e até favorece a captação de novos projetos.

Como fazer o planejamento da gestão de uma obra?

Um bom planejamento de obras é o primeiro passo para conquistar a eficiência do gerenciamento. Nesse sentido, é preciso considerar todas as etapas necessárias e pensar em como executá-las. Para ter sucesso nessa tarefa, veja quais são as nossas dicas!

Estude a viabilidade

Tudo começa com o entendimento sobre a viabilidade da obra. É preciso conferir se ela pode ser realizada dentro das condições específicas e quais são os pontos de atenção. Além do mais, é recomendável preparar toda a documentação, de modo a evitar problemas.

Elabore um escopo para a obra

Em seguida, é o momento de criar um escopo. Ele deve conter todas as etapas essenciais que precisam ser executadas e prever, ainda que resumidamente, a ordem. Assim, é possível ter uma visão geral do que deve ser feito em cada situação.

Conheça todos os recursos necessários

Após conhecer quais são as ações exigidas, entenda quais serão os recursos utilizados. É a hora de definir os custos, o tempo necessário para conclusão e até quais serão os profissionais de maior relevância para cada momento. Isso é fundamental para garantir que cada área tenha as demandas atendidas.

Monte um plano de ação

Com o reconhecimento de todos os elementos do planejamento, é preciso hora de estabelecer como tudo será colocado em prática. Elabore um plano completo e defina quais serão as ações e como obter o que é esperado.

Quais as 5 melhores práticas de gestão de obras?

Como visto, um bom gerenciamento de obras depende de elementos como o planejamento e a provisão dos recursos necessários. Além dessa etapa, há outros pontos importantes e que ajudam a conquistar os melhores resultados.

Para saber quais são, confira 5 ótimas práticas de gestão de obras e veja quais são as nossas recomendações!

1. Entenda todos os riscos associados

Fazer um planejamento é fundamental, mas não é suficiente. Além de definir os resultados esperados e quando eles devem acontecer, é conveniente pensar quais são os riscos envolvidos no processo. Por isso, um bom gerenciamento também inclui essas considerações.

Defina quais são os principais cenários atípicos ou indesejáveis e onde estão os maiores riscos. Desse modo, é possível dar prioridade no controle e se antecipar à maioria dos problemas.

2. Contrate mão de obra qualificada

Não podemos ignorar que a mão de obra é indispensável para o sucesso das etapas. Por isso, uma boa prática consiste em contratar mão de obra qualificada para as tarefas que serão executadas.

Além disso, é fundamental treinar a equipe para que seja possível atingir o padrão de qualidade esperado. Desse modo, fica mais fácil chegar aos resultados necessários.

3. Delegue as responsabilidades

Embora a gestão de obras envolva controle e visibilidade, não precisa significar centralização. Gerir também é permitir que cada pessoa use suas habilidades de maneira completa. Por isso, é altamente válido delegar as responsabilidades.

Escolha as pessoas certas para assumir cada função e torne-se um facilitador para o alcance de performance. Assim, é possível acompanhar tudo com mais facilidade.

4. Gerencie os fornecedores corretamente

Os elementos internos não são os únicos que afetam a execução das obras. Ainda é preciso cuidar dos fornecedores, já que é deles que depende a execução de diversas tarefas.

É fundamental monitorar corretamente os pedidos, os prazos e as entregas. Também confira qual é a qualidade entregue e em relação ao uso dos produtos. Assim, será tranquilo fazer com que cada equipe tenha aquilo de que precisa no momento certo. Para futuras obras, esse conhecimento ajuda a escolher as empresas ideais.

5. Esteja preparado para imprevistos

Por melhor que seja o planejamento, é impossível eliminar todos os riscos de encarar imprevistos. Por isso, vale a pena se preparar para encarar essas situações. Deixar uma parte do orçamento para emergências ou contemplar atrasos é algo considerável.

Quanto maior for a capacidade de adaptação no gerenciamento, melhores serão os resultados.

Quais os 3 erros de gestão de obras que devem ser evitados?

Se, de um lado, há as boas práticas, de outro há os erros comuns e que precisam ficar longe do seu projeto. Para evitar que eles se concretizem, o melhor caminho é conhecer quais são eles.

Para não ter dúvidas na execução das tarefas, separamos quais são as 3 falhas que têm que ficar longe da sua obra!

1. Falta de comunicação

Na função de gestor de obras, é preciso tomar decisões e assumir responsabilidades. No entanto, não significa que toda a equipe deve ser mantida no escuro. A falta de comunicação é um deslize grave e que compromete a execução.

Como todos devem trabalhar juntos, o ideal é integrar a comunicação. Garanta que todos fiquem por dentro de objetivos, problemas e expectativas. Assim, o resultado será consistente.

2. Contratação feita pelo preço

Outra falha tem a ver com a escolha de recursos, como materiais ou profissionais. Em busca de economia, alguns gestores recorrem ao preço. No entanto, isso causa diversos problemas, desde a fundação à limpeza pós-obra e pode causar gastos ainda maiores.

Em vez disso, opte pela contratação com base no custo-benefício e nas principais vantagens. Desse modo, há a certeza de obter segurança, qualidade e eficiência.

3. Microgerenciamenmto

Não é porque estamos na metade da obra que é preciso que o orçamento tenha um gasto exato de 50%. Também não é porque uma tarefa levou um ou dois dias a mais que é necessário mudar o cronograma completo. Tomar decisões com base em períodos muito pequenos é conhecido como microgerenciamento e deve ser evitado.

Em vez disso, acompanhe todos os resultados, mas prefira agir quando realmente há uma tendência a ser trabalhada. Do contrário, você só vai desperdiçar recursos.

Quais os principais desafios na gestão de uma obra e como superá-los?

Além de tudo, há situações que são especialmente desafiadores nessa etapa de gerenciamento. Reconhecer tais pontos é indispensável para entender o que virá e, principalmente, como proceder para superar.

Se não quiser ser pego de surpresa com possíveis dificuldades, veja quais são os pontos de atenção!

Garantir a segurança

Para evitar atrasos, prejuízos e perdas humanas, é importante cuidar da segurança. Ao mesmo tempo, esse é um dos maiores desafios no momento de executar os processos de uma obra.

Para driblar essa questão, é fundamental conhecer as normas específicas de segurança, bem como as boas práticas e recomendações. Também é importante realizar treinamentos, fornecer equipamentos de proteção e contar com materiais de qualidade. Na hora de proteger o piso, por exemplo, ter um produto específico para isso reduz os riscos de acidentes.

Obter eficiência

Outro desafio comum da gestão de obras é a conquista de eficiência. Em muitas situações, imprevistos e erros prejudicam o cumprimento do que foi planejado, o que passa a exigir mais recursos por parte do gerenciamento.

Não existe uma fórmula para tornar a obra eficiente, mas as chances aumentam com as decisões certas. Por isso, é indispensável entender as necessidades da obra e fazer adaptações nos planos, para alcançar a máxima performance.

Acompanhar os resultados

Além de tudo, é comum encontrar certa dificuldade para acompanhar todos os resultados. Nem sempre é simples entender como anda o uso do orçamento ou o que significa um desvio — inclusive, para ser possível fugir do microgerenciamento.

No entanto, o uso da metodologia adequada e das ferramentas ideais permite verificar melhor o desempenho. A partir disso, há a chance de definir corretamente quais são os resultados concretos e o que precisa ser modificado.

Quais ferramentas de gestão de obras podem ser utilizadas?

Por falar nesses recursos, é essencial saber quais são as ferramentas que auxiliam o processo. Não estamos falando de materiais usados na construção e, sim, de elementos de apoio para coletar dados e tomar decisões. Com eles, há a oportunidade de superar desafios e vencer dificuldades.

Na sequência, confira quais são as principais ferramentas de gestão de obras e entenda como usar cada uma.

Orçamento

O orçamento é indispensável para definir quais serão os gastos e como será feita a distribuição para as fases da obra. Graças a ele, é possível dividir o valor disponível entre cada fase, de modo que tudo possa ser realizado dentro do previsto.

Esse planejamento deve ser elaborado com base em alguns elementos, como a qualidade construtiva desejada (se de baixo, médio ou alto padrão). Ao considerar as características específicas da obra, há como ter uma ideia concreta de quais são os valores que precisam ser cumpridos.

Cronograma

Além disso, a gestão de obras precisa ser eficiente para evitar atrasos. Na maioria dos casos, demorar demais até a entrega gera gastos extras e pode até comprometer a lucratividade. Para melhorar o controle nesse sentido, é fundamental elaborar um cronograma.

Ele define quando cada etapa deve começar e terminar, qual é a ordem de execução e até se há tarefas simultâneas. Ele é especialmente importante no caso das partes que dependem da anterior, como a pintura das paredes que só é feita no acabamento. Com isso, pode-se conquistar a desejada eficiência.

Fluxo de caixa

Ainda em relação ao orçamento, a gestão de obras deve utilizar o fluxo de caixa como ferramenta de controle. Ele serve para controlar todas as movimentações financeiras — especialmente, as saídas. Com isso, é possível verificar se existe um problema em qualquer setor que precise de atenção.

O registro completo e identificado das movimentações favorece a análise e a tomada de decisão. Na prática, é uma excelente maneira de controlar melhor o uso dos recursos.

Sistemas automatizados

Além de tudo, a tecnologia tem papel especial quanto ao uso das ferramentas. Entre os principais elementos estão os sistemas automatizados, como um ERP ou um recurso de gestão da construção civil. Em muitos casos, os dados são automáticos e melhoram o controle.

Além de elaborar o orçamento e o cronograma em um recurso do tipo, é possível acompanhar as jornadas de trabalho da mão de obra, os contratos com fornecedores e muito mais. Com isso, são recursos indispensáveis para melhorar a produtividade e a tomada de decisão.

Realizar uma boa gestão de obras é o segredo para alcançar o desempenho pretendido em uma construção ou reforma. Com o uso das nossas dicas, é possível otimizá-la e garantir que todos os resultados sejam consolidados!

Agora que você já conhece essas recomendações, compartilhe o post nas suas redes sociais e debata com os seus contatos!

Posts relacionados

Deixe um comentário